quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Esperando a Pandora

Inicio de parto prematuro com 28 semanas.
Um papo sério com a Baby Pandora:
- Filhota, veja bem... Nao há motivos pra essa pressa, o Temer ainda é presidente, a economia nao tá legal como a midia disse que estaria e alguns acreditaram... Ainda tem muita gente xingando e desrespeitando o coleguinha só porque ele nao compartilha da mesma "ideologia" politica que ele... Pior! As pessoas estao machucando umas as outras porque algumas estao defendendo os que sofrem com o preconceito.Eu sei que isso nao vai mudar em mais algumas semanas a ponto de vc não precisar presenciar tudo isso, mas, eu sei que seu corpinho estará mais forte pra aguentar as coisas por aqui, que estão punk!
E outra...
Se vc nascer agora, vc vai parecer o Smeagol! Sério! Acredita...
Nenhuma roupinha fashion vai caber em vc e eu vou tirar muitas fotos e vou te expor assim mesmo e porei na legenda "a coisinha mais feiozinha e pelancuda do mundo, mas que eu amo muito" e vou mostrar isso tudo pro seu crush (que agora eu ja sei o que é, mas provavelmente vai mudar de nome varias vezes ate chegar sua vez )...
Ahhh e seu berço e enxoval ainda nao chegaram!
Enfim, filhota... Fica ai mais um pouco, ok?
E, o trabalho de parto prematuro parou.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

De mim, ontem.

... “De tudo o que amo, és tu o que mais me apaixona” * (Pedro Freitas)
De tudo o que penso, és tu a melhor cena
De tudo o que leio, és tu o melhor poema
De tudo o que ouço, és tu a melhor canção
De tudo o que odeio, és tu a melhor decepção
(...)


Sabrina Zahara




sábado, 13 de junho de 2015

Ode à Marina

Em dia de festa no céu
No céu foi plantada a semente
Num sopro de vida quente surgiu
O teu mais belo presente

Desceu a semente do céu
E o céu transformou a menina
Um amor no papel
No papel uma ode à Marina.

Não nasceu só o menino
Leandro te fez mulher
Com as cores de um anjo
E os olhos cheios de fé

Te conto um segredo urgente
O amor se revelou
E a lágrima recorrente
O Teu anjo enxugou.


Leveza, promessas e zelo.


Metade de mim quis fugir
Acreditei não ser real
Raridades não devem existir
Caminho no mundo do trivial.
Outros tantos avistei
Alguns se foram no vendaval
Não admiti a importância
Temendo grande temporal.
O teu beijo me roubou
Noites no tom do prazer
Improvável haver amor
Onde não há nada a temer.
Liberdade em gaiola aberta
Embriagues de desespero
Amor não chega em hora certa
Leveza é promessa de zelo.


domingo, 3 de maio de 2015

TEORIA DE TODAS


Ainda fico perplexa ao conversar com um "Entendeólogo" do ser feminino! 
É, no mínimo, curioso e merecedor de nossa atenção! Ahh é!
Ouvi-lo falar sobre suas assombrosas teorias e observações sobre as mulheres é divertido e eu gosto! E, ouço. ouço...e fico atenta a cada detalhe de cada palavra que forma cada frase do seu conceito.
Por fim, observo com um sorriso brejeiro este ser que, negligentemente, dança gafieira na beira do abismo com seu ego imortal.


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

QUERER BEM

Perto dele, ela é folha à esmo
No bailar da ventania.
E, mesmo que os Olhos nublem vez em quando e palavras saiam pelo avesso...
Perto dele, ela era dança
Como baila livre uma criança
Na esperança do amanhecer
Perto dele, ela é só querer(bem)

Perto dele, ela é calmaria
Lume aceso numa noite fria
Longe dele ela é só saudade
Choro fácil, chuva fina a tarde
Ela é desejo de fugir
Sem ao menos ter aonde ir.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Um pulinho no Pará




Fui ao Pará e parei né !? Como na música...

Cheguei na madruga e fomos direto á ilha de Algodoal. Viagenzinha puxada de três horas de estrada numa van... Atravessando de barco até a ilha e chegando lá andando numa charrete puxada por cavalo!
O nosso cavalinho tava cansadinho, eu acho... Pois, o homem que guiava gritava "VAI DANADO, VAI DANADO" e o danado só dava dois trotes e depois andava lennnto... e o homem "VAI DANADO, VAAAAAI DANADO" E o Danado nem ligava mais. haha.
A praia é linda! Só me faltou uma costela... Mas, a turma que foi junto fez tudo ficar mais divertido!
Voltando à capital, Belém fui aos botecos... claro! Mas também fiz passeio pra turista ver. Almoçar no ver o peso e tal... e, passeando pela feira uma moça me parou e disse que ninguém vai ao Pará sem levar pra casa o "cheirinho do Pará"... uma tal de patchuli... que é basicamente uma raiz cheirosa com algumas coisas que eu não sei o que é, e um pó que estava escrito Priprioca. Humm Priprioca! ... Lembrei do perfume da Natura... "Massa ! Cheirosa e ecologicamente correta... adoooro"
Cheirei e disse "ok, eu levo!". Coloquei numa sacola junto com uns livros que havia comprado e toda vez que abria a bendita sacola sentia o "cheiro do Pará". Realmente, o cheiro é bom e me lembra a infância na casa da minha avó macumbeira.
Esqueci de todos os problemas nessa viagem rapidinha. Aliás, esqueci completamente que tenho rinite alérgica e voltei do Pará bem ... uma tossezinha aqui e acolá... Nada de mais. Mas, quando eu acordei no dia seguinte, ja em casa... notei que meus olhos estavam grudados e logo me lembrei do "cheirinho do Pará"! Haha.


Voltei toda remelenta e catarrenta! Bendita rinite alérgica...

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Só mais um bla´blá blá...


           Estou louca de vontade de reclamar, de chorar, de comer comida de verdade e principalmente de falar! É assim, Sempre que eu preciso ir com mais calma e não obedeço esse período, recebo uma baita rasteira. Já disse a vocês que meu corpo tem vontade própria? Pois é, ele tem e se eu não paro e não dou o tempo que ele pede, ele simplesmente me faz parar. 
             Esse ano eu escrevi pouquíssimo aqui, as razões eram as mais diversas... “Tô sem tempo”, “tô sem inspiração”, “tô sem novidades”, “não fiz mais nenhuma cagada”, “tá tudo muito calmo”... Enfim... Mas, a grande verdade é que quando eu escrevo aqui a catarse é inevitável. Acho que fica mais fácil visualizar o presente e ás vezes até arrumar algumas coisas antes de um “gran finale” indesejável e , pelo que percebi, eu mesma me saboto e evito enxergar!

           Ahhhh, Desculpas eu tinha aos montes e agora estou aqui... de molho, com a cabeça cheia de desculpas e culpas. Uó!! Uó!!!